Por quê?

 

Porquê Deming, Porquê Agora para Brasil?

por Dan Strongin
(do Introducão do livro, O Sistema Deming, por Rafael Aguayo)

A capacidade do Brasileiro em se relacionar, sua alegria, são as principais qualidades que o diferenciam. Usarei um ícone da cultura e do esporte no Brasil, o futebol, para melhor ilustrar essas qualidades, e a importância do incentivo ao seu melhor aproveitamento no trabalho.

Todos os dias, os brasileiros saem de casa para trabalhar em empresas, como em qualquer lugar do mundo. Dentro delas, existe uma estrutura de “comando e controle.” Diariamente, esse sistema de gestão, assegura que os trabalhadores façam o seu trabalho, fiscalizando-os, para estarem certos, de que terão uma produtividade proporcional ao seu investimento em salários.

Sempre que podem, ao terminarem o seu dia de trabalho, os cariocas gostam de se encontrar para jogar futebol. A qualquer hora, no Rio de Janeiro, posso assistir a um jogo amador, nos parques e outros lugares. Jogando, formam uma equipe, com total entrosamento e concentração. Esse comportamento, se assemelha ao dos funcionários que recebem uma alta remuneração pela sua performance. Na realidade, não jogam por dinheiro, simplesmente pela felicidade de jogar. A alegria aliada à satisfação pessoal, é o que Dr. Deming chama de “motivação intrínseca”.

Lemos nas revistas, escutamos na televisão, e aprendemos nas escolas de negócios, conceitos populares de gestão, tais como: Gestão por Objetivos (MBO), por resultados (MBR), e também o de “stockholder value,” uma iniciativa que tem como intenção maximizar o valor do investimento de seus acionistas. Em um meio de competição feroz, esses modelos se dizem necessários, porque “os negócios são uma guerra.” Essas máximas repetidas à exaustão, são conceitos que a maioria das pessoas conhecem, então por que deveriam duvidar? Como poderiam saber melhor?

A maioria não sabe que o padrão de gestão dominante no mundo, desde a Segunda Guerra Mundial, teve início na época do primeiro grande acidente de trem na historia mundial, acontecido nos E.U.A., em 1841, Worcester, Massachusetts. Os políticos, e os donos da empresa ferroviária, buscaram um modelo de gestão para terem alguém à quem culpar. Na época, existiam apenas os da igreja e o militar, escolheram então, o formato militar de comando e organização, possibilitando o distanciamento entre comando e a base inferior do organograma,  facilitando assim a transferência da culpa para os funcionários.

Os trabalhadores, dentro desse modelo, carregam o peso de uma administração, que não é científica, nem eficaz, e sim um sistema de gestão pouco democrático, com falta de liberdade, e que não prioriza os direitos humanos.

O Brasil, com a sua abundância de recursos, natureza, e grande afetividade do seu povo, tem potencial para se tornar um país verdadeiramente sustentável, dando fim a um sistema permissivo com a corrupção, existente desde a época da sua colonização.

Objetivos nobres, sozinhos, não são suficientes, precisam caminhar juntos com o conhecimento, e então, Dr. Deming chamou a sua filosofia de gestão “Sistema de Conhecimento Profundo.” O que domina este sistema são os princípios científicos, e humanitários, que garantem eficácia no melhor desenvolvimento das organizações. Junto com a “motivação intrínseca,” orgulho, e alegria no trabalho, permitiram um extraordinário retorno no longo prazo.

Para ler e aprender mais… http://www.amazon.com/Sistema-Deming-Portuguese-Edition-ebook/dp/B007O30CDQ/ref=sr_1_10?ie=UTF8&qid=1338826071&sr=8-10

 

Melhoria sem fim através Profundo Conhecimento
 
 
 
 

 

 

Comments are closed.